4 meios de transporte diferentes para conhecer Madrid

Sou o tipo de turista que gosta de conhecer uma cidade caminhando, com o mapa nas mãos, entrando em ruelas escondidas e, às vezes, até andando um pouco sem rumo. O resultado é invariavelmente incrível, mas também muito cansativo! Claro que meus pés já tinham revelado isso nos meus mochilões, mas foi só quando minha vó esteve em Madrid e eu quase matei a velhinha de tanto andar que percebi que é possível fazer turismo de outras maneiras sem abrir mão da parte legal de conhecer a cidade.

meio de transporte 3

Por isso, decidi escrever esse post contando um pouco dos serviços que podem ser encontrados em Madrid para diferentes perfis de turistas, dos mais esportistas aos que buscam mais conforto. Porque fazer turismo não deve depender da idade ou de limitações físicas e aqui isso é possível.

Uma das maneiras mais populares de conhecer as grandes cidades europeias, o ônibus turístico oferece muitas vantagens: você pode subir e descer em qualquer das suas paradas, há fones de ouvido que explicam ao turista o que ele está vendo (disponível também em português) e, em dias de verão, ficar no ar-condicionado pode ser um grande alívio. Além disso, ele passa com bastante frequência.

Pegando o City Bus em Sol
Pegando o City Bus em Sol

duas rotas e, de novembro a fevereiro, os ônibus circulam das 10 às 18h e, de março a outubro, das 09 às 22h. Além disso, até o dia 15 de setembro está disponível a versão noturna da rota 1, com dois passeios a partir das 22h!

O preço para adultos entre 16 e 64 anos é de 21 euros por dia ou 25 por dois dias. Crianças de 07 a 15 ou maiores de 65 pagam 10 por dia ou 13 euros por dois dias; e crianças menores de seis anos não pagam.

Para quem vale a pena: para famílias com crianças pequenas, pessoas mais velhas ou com problemas de mobilidade, para quem fica pouco ou tempo na cidade.

Para quem não conhece, o Segway é um meio de transporte elétrico de duas rodas e que vem se popularizando entre os turistas.. Fui convidada por uma das empresas que prestam serviço aqui, a Madrid Segway, a fazer um tour com eles e curti bastante.

Segway no Templo de Debod
Segway no Templo de Debod

O grande diferencial do Segway é que o equipamento em si é uma atração e, apesar de parecer difícil no começo, dá para pegar o jeito bem rápido e o pessoal te dá uns 10 minutos para praticar antes do início do passeio. Ah! E há dois tamanhos diferentes, o que é fundamental para crianças (ou baixinhos, como eu).

A Madrid Segway oferece tours de 60 minutos (25 euros), 90 minutos (35 euros) e 150 minutos (59 euros), além de organizar passeios especiais para grupos. Há algumas paradas durante o percurso para tirar fotos (porque é quase impossível fazê-lo com o Segway em movimento) e nesses momentos o guia vai explicando (em espanhol e inglês) um pouco dos pontos turísticos.

meio de transporte 5

Para quem vale a pena: famílias com crianças a partir de uns 10 anos, grupos de amigos até uns 40 e poucos anos. Minha dica: use o Segway no primeiro dia da sua viagem para ver o básico e depois planejar os lugares que gostaria de ver com calma.

Madrid conta desde o ano passado com um sistema público de bicicletas elétricas, o BiciMad, seguindo a tendência de outras grandes cidades. Qualquer pessoa que tenha um cartão de crédito pode alugar uma bicicleta, com a vantagem de poder retirar a bike em uma das dezenas estações – já são mais de 100 – e devolvê-la em qualquer outra.

Um dos pontos do BiciMad
Um dos pontos do BiciMad

Madrid, infelizmente, ainda não conta com ciclovias por toda a cidade, o que pode complicar na hora de pedalar em regiões com mais movimentadas, por isso a região mais indicada para passear é a de Madrid Rio, uma zona verde (e com ciclovia) ao lado do Rio Manzanares.

Você pode alugar por um, três ou cinco dias, mas a cobrança (efetuada de maneira automática ao final do período escolhido) é sempre por horas. É importante ter limite no cartão, porque eles bloqueiam 150 euros no momento da retirada da bicicleta e desbloqueam quando a bike é devolvida.

Para quem vale a pena: turistas mais esportistas (se quiserem andar nas ruas de Madrid) ou qualquer pessoa que goste de pedalar, para as áreas mais tranquilas, como parques. É importante ressaltar que o sistema elétrico funciona MESMO e pode ir mais rápido do que você espera ao princípio

Essa é a opção menos turística, já que você não vai parar para ver nada, mas é o jeito mais divertido de passear pela cidade. O BBike é uma espécie de bicicleta coletiva em que vão até 18 pessoas, sendo que só 10 pedalam. Durante o percurso de 45 minutos, que passa pela região do Paseo del Prado e Puerta de Alcalá, os ciclistas vão bebendo cerveja, já que existe uma mesa central que fornece a bebida. Para quem prefere, há a opção de sangria.

Foto: Facebook BBike
Foto: Facebook BBike

O passeio com um 1 litro de cerveja sai por 15 euros; com sangria, por 18. Quem quiser beber à vontade as duas bebidas paga 25 euros.

Você pode levar sua própria música, mas a desvantagem (ou vantagem, para quem quer conhecer gente nova) é que você poderá dividir a BBike com outras pessoas se o seu grupo for inferior a 18 pessoas.

Para quem vale a pena: adultos que estejam a fim de festa.

Larissa Andrade é jornalista, paulista e apaixonada por Madrid, onde mora desde 2011. No blog “Esto es Madrid, Madrid” conta suas experiências e dá dicas sobre a cidade, enquanto no”Be My Beer” fala sobre o mundo da cerveja artesanal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *