Uma rota por bares centenários de Madrid

Compartilhar
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

Post por Suzana Paquete, autora do blog That Good Trip

Desde que vim morar em Madrid já levei muitos amigos, familiares e até gente que eu não conhecia de nada pra conhecer a cidade pela ótica das comidas típicas e bares com encanto. Não é um caminho formal, e sim um que eu acabei criando sem querer e que virou uma rota por bares centenários de Madrid com a minha assinatura 😉

La Venencia, foto de Krista - Creative Commons
La Venencia, foto de Krista – Creative Commons

Esses lugares estão concentrados no centro da cidade, porque assim dá pra dar uma paradinha na Puerta del Sol entre um e outro, conferir a fachada desenhada da Casa de la Panaderia da Plaza Mayor enquanto caminhamos ao seguinte, e assim por diante. Quando você parar pra pensar,  já vai ter conhecido o básico da capital espanhola com a desculpa de estar visitando lugares que abriram no século passado (ou retrasado) e que continuam funcionando até hoje. Ainda bem que as máquinas fotográficas de hoje não têm o filme como limite pra registrar tantos bons momentos 😉

Esse passeio culinário-cultural é pra gente sem frescura, aqueles que preferem bater perna durante 2 horas (ou mais) do que sentar em um restaurante pra jantar e “gastar” todo esse precioso tempo em um único lugar.

Ah sim, ele é melhor apreciado se for realizado a partir das 19 horas. É um passeio como Madrid: leve, dinâmico, despretensioso e que enche os olhos de qualquer um.

 Preparados?

 Primeira parada: La Venencia

Não quero desapontá-los já de início mas este é um dos poucos lugares que não é exatamente centenário. Esse bar abriu em 1922 mas entrar nele é uma volta às origens das vendimias, ou colheita das uvas, na Espanha. O primeiro que você vê são garrafas de vinho de todo tipo deliciosamente empoeiradas. As paredes e o teto certamente precisariam de um retoque de tinta, mas os grandes cartazes das festas de Jerez de la Frontera desde o começo do século fazem você mudar de ideia e parar de julgar o lugar para apenas apreciá-lo. Lá só se bebem 5 tipos de vinho de Jerez, como aperitivo, acompanhados das melhores azeitonas de Madrid. O garçom anota seu pedido a giz no balcão de madeira e, caso você se sente nas mesas do fundo, poderá ter a companhia de um lindo gato preto, habitante do local.

Foto: Fernando García (Creative Commons)
Foto: Fernando García (Creative Commons)

Endereço: Calle Echegaray, 7.
Horário: de segunda a domingo de 13:00 às 15:30 e de 19:30 às 2:00

Segunda parada: Casa Labra

Vamos continuar abrindo o apetite a conta-gotas. Esse lugar é incrível porque ele também só serve duas coisas que são o seu carro chefe: croquete de bacalhau e bacalhau empanado e frito. E essas iguarias são pedidas em um balcão minúsculo do lado direito do bar (não se impressione se houver fila, é bem normal). Feito isso, vá à seguinte barra pra pedir a sua cerveja ou vinho. Não há um cardápio imenso, nem muitas mesas (há algumas fora e outras poucas dentro). Mas lá você vai ver o ano de fundação escrito na parede: 1860. Até me arrepio de estar num lugar tão antigo e que está até hoje funcionando da mesma maneira.

Foto: Cesareb (Creative Commons)
Foto: Cesareb (Creative Commons)

Endereço: Calle Tetuan, 12.
Horário: de segunda a domingo de 11:00 às 15:30 e de 18:00 às 23:00

Terceira parada: Mercado de San Miguel

Quando cheguei a Madrid o mercado estava em obras eternas. Depois de 7 longos anos fechado, ele reabriu suas portas e virou o mais estiloso lugar por onde você precisa passar durante o seu passeio noturno. No verão há vapor de água sendo jogado delicadamente sobre as pessoas que com certeza estarão procurando refrescar-se das altas temperaturas. No inverno há estufas, mas ele é todo fechado e virou ponto de encontro de turistas, então vá preparado pra andar espremido e levar uns esbarrões não intencionais.

Foto: Herry Lawford (Creative Commons)
Foto: Herry Lawford (Creative Commons)

Eu gosto de passar ali pra tomar um “vermut de grifo”, simples, gostoso e barato, e de quebra conhecer o espaço. Ah sim, o mercado é o único todo feito em ferro que restou em Madrid e funciona desde antes de 1835, mas o projeto atual é de 1916.

Endereço: Plaza de San Miguel, s/n.
Horário: quinta, sexta e sábado de 10:00 às 2:00, domingo a quarta de 10:00 às 24:00

Quarta parada: La Ideal

Esse bar está junto a um dos vários arcos que compõem a Plaza Mayor. Não está, portanto, na rota dos turistas, misturado a bares de cadeia como um dos 100 Montaditos que dominam Madrid atualmente. Não é fácil encontrá-lo, mas desde que me levaram ali pela primeira vez eu descobri um tesouro e virou o meu lugar do coração. Não é um lugar centenário mas se comporta como se o fosse, porque há fila de pessoas aos domingos, depois de terem ido ao mercado do Rastro, pra comer os seus incríveis “bocadillos de calamares”, um pão fresco com aros de lula frita dentro, e nada mais.

Foto: Wikitravel.org
Foto: Wikitravel.org

Esse é o “prato estrela” da casa e, apesar de existir outras coisas no cardápio, eu considero uma heresia não comer as minhas lulinhas. O lugar é pequeno e cheio de papéis jogados no chão, mas isso é um indício do sucesso do local: quanto mais sujo o chão estiver, mais gostosa (e limpa) é a iguaria que ele serve.

Endereço: Calle Botoneras, 4
Horário: de segunda a domingo de 9:30 às 23:30

Quinta (e última) parada: Chocolatería San Ginés

A não ser que você tenha um estômago de avestruz, a esse ponto do roteiro você só terá espaço pra um docinho de sobremesa. E o lugar perfeito pra terminar essa noite é comendo os tradicionais churros com chocolate em um lugar emblemático da cidade que é a San Ginés. A chocolatería abriu suas portas no ano de 1894 e tem um horário bastante peculiar de funcionamento: de 9 da manhã até as 7 da manhã do dia seguinte. Isso mesmo, ela fecha por 2 horinhas pra limpeza e reabre firme e forte. As filas ali acontecem de vez em quando de madrugada. Entre 4 e 6 da manhã é quando os esfomeados vão “desayunar” depois de voltar da balada e antes de ir pra casa dormir. O carro chefe são os churros e as “porras” com uma xícara de chocolate quentinho pra banhá-los. E sim, você pode fazer terrorismo com seus amigos brasileiros antes de fazê-los provar as “porras” – eles sempre aprovam a iguaria 😉

©PromoMadrid, autor Max Alexander (Creative Commons)
©PromoMadrid, autor Max Alexander (Creative Commons)

Endereço: Pasadizo de San Ginés, 5
Horário: de segunda a domingo 24 horas, segundo o estabelecimento (parece que agora não fecham pra limpar –  pra que fechar, né?)

Há vários outros estabelecimentos centenários em Madrid. Qual você indicaria para completar essa lista (e ir madrugada adentro)?

Suzana Paquete é jornalista e blogueira de viagens. Ela aprende o que o mundo ensina e conta tudo no blog That Good Trip, incluindo suas experiências no apaixonante Caminho de Santiago, suas aventuras por Madrid e outras viagens incríveis.
Compartilhar
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

4 comentários sobre “Uma rota por bares centenários de Madrid

  1. Dentro del mercado tens Uma cafetaria e Uma Libreria cóm productos portugueses! Café pasteis de nata e Vinho do porto! Café del art e librería gastromanias! Se es portuguesa passa a conhecer! Estamos ha 6 años no mercado cóm muito orgulho! Un saludo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *