Biblioteca Nacional da Espanha

Compartilhar
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

Post por Sandra Brocksom, autora do blog Sandra B. em Madrid

Uma grande cidade tem uma grande biblioteca. Nesse post apresentamos a imponente “Biblioteca Nacional de España” (BNE) de Madrid. Garantimos que a BNE é muito mais que o lugar da leitura e do silêncio, é para deixar bibliófilos de queixo caído e despertar novos e outros interesses sobre a palavra escrita. Para as pessoas que escolheram Madrid para aprender espanhol, é parada obrigatória.

foto-bne-01_resize
Foto de Biblioteca Nacional de España

Em 1711, o rei Felipe V ordena a criação da “Biblioteca Publica de Palacio” que teria a função de reunir em um mesmo lugar todos os documentos produzidos pelo império espanhol. Desde então o órgão conserva exemplares de todas as publicações editadas na Espanha e muitas de outros países de língua espanhola, agora como Biblioteca Nacional da Espanha que pode ser visitada.

Para os amantes de manuscritos, livros, gravados e mapas é um parque de diversões. Atualmente são dois prédios: o mais novo em Alcalá de Henares, cidade bem próxima a Madrid; e o antigo bem no centro da cidade, que é também museu.

SAMSUNG

Desde 1896, a sede central está no Paseo de Recoletos número 20-22, dividindo quarteirão com o MAN, muito perto do Parque do Retiro e Museu do Prado. O edifício foi construído para ser o pavilhão da Exposição Ibero-americana do IV centenário de descobrimento da América em 1892, em estilo neoclássico feito para ser grandioso.

Na entrada somos recepcionados pelas estátuas de Alfonso X, o sábio, San Isidro (padroeiro de Madrid) e Cervantes, o autor do clássico Dom Quixote – para que ninguém se engane, estamos entrando no templo das palavras. Lógico que coisa boa nos espera!

foto-bne-02_resizefoto-bne-03_resize

A área destinada à biblioteca ocupa o andar principal do edifício com 35 salas e o grande salão de leitura para 320 leitores. Para ter acesso a área de leitura e consulta de livros é preciso reserva, que pode ser feita por aqui: BNE-Visitar. Um dos destaques é a “Sala Cervantes”, onde estão algumas raras primeiras edições, livros e obras de teatro de Miguel de Cervantes ou relacionados a ele.

As áreas adjacentes do edifício são as salas de exposições e o Museu da Biblioteca. Essas áreas são de acesso livre e gratuito, sem necessidade de reserva. Também tem serviço de visitas guiadas. O antigo Museu do Livro tem uma parte dedicada ao funcionamento, ao cotidiano e a história da Biblioteca Nacional para todos os públicos. Além da sala das musas, da memória ao saber, aula do Quixote, sala para oficinas e o café literário. Na sala das musas estão obras únicas que são trocadas a cada três meses garantindo sempre uma surpresa ao visitante. Alguns consideram o museu como o centro documental sobre a cultura escrita, gráfica e audiovisual espanhola e ibero-americana.

E tem cada exposição temporal que vale a pena!

Meu primeiro contato com a BNE foi em 2012. Minha irmã, que já morou aqui, estava revivendo seu amor por Madrid. Ela e eu já tínhamos os 10  locais indispensáveis de Madrid feitos de cor e salteado e buscávamos coisas diferentes, quando encontramos na BNE uma exposição sobre Bíblias Sefarditas: uma série de bíblias originais escritas pelos sefarditas, descendentes de judeus de península ibérica que foram expulsos em 1492. Na Biblioteca Nacional descobrimos que foram eles quem traduziram as primeiras bíblias para o espanhol, formados pela escola de tradução de Toledo. Um acervo de encher os olhos. Um tema tão específico, mostrado de uma forma tão bonita, cheia de detalhes, mas sem ser exaustiva, que nos fascinou e viramos fã da BNE. Quem tiver curiosidade pode consultar o material da exposição aqui: Exposições Bíblicas. Minha obra preferida é a Bíblia de Alba de 1420.

biblia-de-alba-bne_resize
Foto Biblioteca Nacional de España

Esse ano, com certeza a exposição que chamou mais a atenção foi “Miguel de Cervantes: de la vida al mito (1616-2016)”, também disponível na página da própria BNE. Aliás esse é outro aspecto positivo da BNE, quase todo o seu acervo está digitalizado e disponível na página deles, trazendo dela uma biblioteca muito acessível.

Afinal, a Biblioteca Nacional da Espanha guarda histórias em forma de documentos e também está aberta ao futuro.

SAMSUNG

BNE – Biblioteca Nacional de España

Onde? Paseo de Recoletos, 20-22.

Metro: Serrano (Linha 4)

40 vagas para bicicletas no estacionamento.

Quando?

De Terça-Feira a Sábado de 10 a 20 h.

Domingos e feriados de 10 a 14 h.

Quanto?

Museu e salas de exposições: Gratuito

Para a biblioteca, fazer reserva aqui: BNE-Reserva.

Procure o serviço de visita guiada: BNE-Visita.

Sandra Brocksom é do interior de São Paulo e veio morar em Madrid por amor a um espanhol. Ela acabou se apaixonando também pela cultura, gastronomia e história madrilenha e espanhola. Ela conta suas experiências no blog Sandra B Em Madrid.

Compartilhar
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *