Chocolateria San Ginés

Escondida numa passagem de 60 metros de comprimento, a Chocolateria San Ginés, desde 1894, faz a alegria dos amantes do chocolate quente e dos churros.

O estabelecimento começou em 1890 como uma pousada e foi batizado com o nome do padroeiro da igreja vizinha, o francês São Ginés de Arlés. Já em 1894, o hotel foi transformado em uma loja onde se vendia churros, as churrerías, que são tão comuns e tradicionais em Madrid.

Com suas mesas de mármore e colunas de ferro verde, o salão nos remete à virada do século XX. Nas paredes vemos fotos dos ilustres visitantes que já deram o ar de sua graça e dou uma dica: Pelé tem seu lugar garantido na galeria.

Mas atenção! Churros na Espanha não é recheado e nem polvilhado de açúcar e canela como no Brasil, por isso é servido com uma xícara de chocolate espesso e quentíssimo. Para se ter uma ideia, o leite e o chocolate devem ferver até a temperatura 90ºC para estar no ponto.

O local já foi ponto de encontro da boemia da capital, bar elegante para as senhoras tomarem seu lanche vespertino e hoje é onipresente em todos os guias turísticos da cidade. Os números confirmam sua popularidade, pois ali são servidas 2500 xícaras de chocolate por dia devidamente acompanhadas de 12 mil churros.

No entanto, não pensem que a churrería foi mais uma vítima do turismo predatório. Como fica aberta de madrugada, muitos madrilenhos recorrem ao chocolate quente da San Ginés para se recuperar da noitada.

Também diz a lenda que ali se deve tomar o primeiro chocolate do ano e é algo tão arraigado no imaginário de Madrid que a fila é enorme.

Toda essa mistura de tradição, modernidade e boa mesa estará presente no V Encontro Europeu de Blogueiros Brasileiros. Esperamos que vocês apreciem!

Juliana Bezerra é historiadora com pós-graduação em Relações Internacionais e História Contemporânea. No blog Rumo a Madrid, ela mostra Madrid através da arte e dos artistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *