Latino ou hispano? Entenda as diferenças

Um espanhol é latino? E uma pessoa nascida na América Latina, é hispana? Qual é a forma correta de nos referirmos a um espanhol? E a alguém que nasce na América Latina: latino ou hispano?

Muitas vezes fiquei na dúvida e só vim me aprofundar nas diferenças quando houve uma polêmica sobre esse assunto. Sempre me pareceu tudo tão óbvio: latino é americano e hispano… também… Bom, acho que nem tudo é óbvio para mim.

Há umas semanas a Rosalía, cantora espanhola, ganhou um prêmio no MTV Video Music Awards de melhor vídeo latino com a música Con altura.

Houve um grande debate na mídia: sua música era latina, europeia, espanhola?

Definindo latino

O dicionário da RAE – Real Academia de la Lengua Española – define latino como:

  • 5. adj. Diz-se de uma pessoa: de algum dos povos que falam línguas derivadas do latim.
  • 6. adj. Pertencente ou relativo aos povos que falam línguas derivadas do latim. Ex.: Os países latinos da América. O caráter latino.

Ok, então aqui já vemos que há 2 significados, certo?

Vamos lá: a América Latina é uma região do continente americano onde os idiomas oficiais são derivados do latim, ou seja, espanhol, português e francês. Sendo assim, a América Latina é composta por 20 países, em ordem alfabética: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Eu sou brasileira, portanto, sou nascida na América Latina. Então, eu sou latina? Sim. Nunca me chamaram de latina, mas várias vezes eu já me auto-denominei latino-americana. Mas “latina”, só essa palavra, nunca. Por quê? Não sei.

Latino? Hispano?

Nos Estados Unidos, a palavra latino/a adquiriu um valor de identidade com um sentido bem diferente, que inclui sua relação com o conceito hispano. O debate é mediado pela mudança sociohistórica que a comunidade latina vivenciou e continua vivenciando nos Estados Unidos nos últimos 50 anos.

Esta controvérsia recente sobre a diferença entre latino e hispano, e se podemos utilizar a etiqueta de “latina” com Rosalía, refere-se principalmente ao uso dado ao termo na América Latina e nos Estados Unidos.

Voltamos ao dicionário e sua definição de hispano:

  • 4. adj. Pertencente ou relativo à América hispânica.
  • 5. adj. Diz-se de uma pessoa: que é de origem hispano-americana e vive nos Estados Unidos da América.
  • 6. adj. Pertencente ou relativo aos hispanos dos Estados Unidos da América.

A América Hispânica é o conjunto de países do continente americano onde se fala espanhol como língua oficial. Então, um brasileiro não é hispano-americano, mas sim latino.

Europa Latina

Europa Latina. Foto: https://esacademic.com

Na Europa, o uso das palavras é diferente e por isso dizemos que os países do Mediterrâneo que falam línguas provenientes do latim são países latinos. Ou melhor, Europa Latina. Portanto, para um europeu, os países latinos são Itália, Espanha, Portugal e França. E para quem é mais bem-informado, Romênia e Moldávia também.

Algumas regiões e comunidades de outros estados, Valona (Bélgica), onde se fala francês, italiano (Suíça), além de comunidades importantes de língua italiana em Malta e Eslovênia, também.

Agora, e aqui na Espanha? Um espanhol se auto-denomina latino? Não, isso não acontece porque os espanhóis reconhecem e até com certa alegria que seu idioma é derivado do latim, mas que quem nasce na Espanha é espanhol. Para um espanhol, os latinos são pessoas que nasceram na América Latina. Latinoamérica, como se diz em castelhano.

Então, agora sabendo essas definições, vou apresentar a Rosalía a você: Rosalía é uma cantora, compositora, produtora e atriz que nasceu em San Esteban de Sasroviras, uma cidade da província de Barcelona, em 1993. Barcelona é uma província da Espanha, Espanha é um dos países do continente europeu. (calma, estou detalhando para você entender aonde quero chegar).

Em março de 2019 publicou um single com o cantor Colombiano J Balvin que se chama Con altura.  A música foi considerada uma referência internacional da música hispana da seção Diary of a song do jornal The New York Times e ganhou 2 prêmios no último MTV Video Music Awards: melhor vídeo latino e melhor coreografia na cerimônia do evento.

A polêmica que surgiu em vários meios de comunicação foi:

  1. Será que a Rosalía merece o título de melhor vídeo latino já que ela é europeia?
  2. O que é ser latino?

Fica a pergunta, quero saber a sua opinião. A minha é a seguinte: assim como as sociedades mudam por causa da migração, a identidade das comunidades também.

26 comentários sobre “Latino ou hispano? Entenda as diferenças

  1. Latino-americano é um termo genérico criado pelos estadunidenses para rotular os povos imigrantes do México, da América Centra e da América do Sul. E é revoltante como isso tira a identidade cultural de cada povo.

    Eu acredito que todos nós que nascemos em países que falam línguas derivadas do latim podemos e devemos ser considerados latinos, mas com uma divisão bem específica em dois subgrupos: latino-americanos para os que nasceram nos países falantes das línguas românticas no continente americano e latino-europeu para os que nasceram nos países que falam os idiomas românticos na Europa. Sendo assim quem nasce no México ou Brasil é latino-americano e quem nasce na Itália ou Espanha é latino-europeu. E no final das contas somos todos latinos.

    Bom, foi um desabafo e uma crítica de uma latina bastante insatisfeita com a situação da comunidade latina nos últimos tempos. Mas essa é minha opinião.

    1. Olá Maria Fabrícia,
      Muito obrigada pelo seu comentário. Claro que sim, os blogs são foruns de opiniões e mais do que válido deixar a sua!

      Sobre serem latinos todos os nascidos em países com idiomas derivados do latim, isso se aplicaria também à Romênia e à França, certo? Tenho 2 boas amigas romenas e realmente para mim seria uma importante abertura de percepção pensar que elas são latinas. Mas estou atenta ao seu comentário, quero saber a sua opinião.

      Andei pesquisando sobre o que você disse, que o termo latino-americano é um termo criado por estadunidenses, e encontrei a informação de que é um termo criado pelos franceses.
      Deixo aqui o link e também copio um trecho do estudo: https://journals.openedition.org/etudesromanes/5141

      “La influencia francesa: «civilisation», y «Amérique latine»
      Durante mucho tiempo se pensó que fue en 1836 cuando Michel Chevalier empleó por primera vez el término América Latina en la Introducción de Lettres sur l’Amérique du Nord.”

      “Partimos del principio de que hoy en día el término de «América Latina» es aceptado y repetido por un amplio número de personas: académicos, políticos, responsables gubernamentales, y actores legos. Pero esto nos remite al problema mismo de la conceptualización del término. ¿Cómo se creó y definió en el lenguaje corriente «América Latina»?

      Se trata de un sustantivo compuesto que atiende a la parte del continente americano que comprende desde Tierra de Fuego (Chile y Argentina) en el sur y sube hasta el río Bravo en la frontera México-estadounidense. Se integra a las islas caribeñas junto con la parte sur y central del continente. Si hablamos de lo político y social se hace referencia a los países del continente que se diferencian de la llamada América del norte o Estados Unidos. Se diferencian al menos en que es autónoma políticamente de esta última y que culturalmente es distinta. En lo que se refiere a la lengua se trata del conjunto de países donde se habla alguna lengua latina o romance, en este caso el castellano o el portugués.

      Sin embargo «América Latina» es esto y mucho más, se trata en realidad del resultado de contextos y situaciones socio-políticas-económicas-geográficas-culturales muy complejas y de larga duración para retomar a Fernand Braudel. Por citar sólo tres ejemplos, la idea y concepto de «América Latina» se fue forjando a pesar y gracias a: 1) el expansionismo norteamericano; 2) a un intento de reconquista por parte de la corona española en el siglo XIX; 3) como proyecto de creación de un imperio en territorio americano impulsado y soportado por Francia y Napoleón III.”

      Melhor não copiar mais porque esta resposta ficaria gigante. No link você encontrará o trecho do estudo que eu cito acima.

      Estou à disposição para qualquer dúvida e comentário.

      Um abraço e obrigada por nos seguir!

  2. Boa noite , em Portugal antigamente usava-se muito o termo latino . Os homens portugueses eram conhecidos por serem “os macho latino“ principalmente nos anos 70 . Não entendo o pq de hoje em dia as pessoas já não aceitarem que somos latinos . Afinal somos latinos de segunda geração e os latino americanos de terceira geração .

      1. Pura xenofobia, o termo latino adquiriu, por causa dos EUA, uma carga de preconceito, mas isso não exclui o fato de países europeus serem latinos também. Aliás só somos latino-americanos por causa desses países europeus, ou seja, eles podem chorar o quanto quiser, mas continuarão a ser latinos igualzinho a nós, de quem eles tanto querem se afastar…

        1. Oi Diego, tudo bom?
          Acho que no texto, e mais ainda nos comentários que pesquisei para publicar aqui, fica clara a intenção dos colonizadores. Não sei avaliar se é xenofobia (xenofobia segundo o Priberam = aversão aos estrangeiros, ao que vem do estrangeiro ou ao que é estranho ou menos comum), talvez seja só uma forma de dar um nome. Só uma nomenclatura. Neste caso não vejo intenção de xenofobia por parte dos países europeus, de verdade.
          Sobre o caso da palavra latino ser cheia de preconceito nos Estados Unidos, certamente será.
          Este post foi escrito com a melhor das intenções de mostrar a diferença nos termos, e seus usos nos lugares citados.
          Eu, continuo sendo brasileira e latina. 🙂
          Um abraço!

        2. Não, não é verdade que nós latinos europeus temos vergonha de sermos chamados latinos! Muito pelo contrário: um dos traços do carácter dos latinos é precisamente o seu orgulho em sermos latinos!
          Eu sou latina e com muito orgulho! Nascida e criada em Portugal rodeada de países europeus latinos e não me imaginaria a viver noutra parte do mundo, rodeada de gente que não seja latina.
          Nós os latinos somos bonitos, morenos, inteligentes, alegres, simpáticos, emocionais, todas as outras etnias ou raças gostam dos latinos ou quereriam ter um traço nosso! Então porquê a vergonha de ser chamado de latino? Sou latina sim e com muito orgulho !
          E também não me quero afastar da América Latina! Porquê os latinos americanos são tão complexados? Porque tanto complexo de inferioridade? Somos todos latinos é o que é e não tem como mudar! Então bola pra frente que o caminho faz-se andando e não chorando!

          1. Ai, Diego, esse assunto está dando muito pano para manga! hahaha…
            Lá na faculdade estou aprendendo latim e sem dúvida nossa cultura é muito latina, somos latinos, culturalmente e fisicamente falando como você diz.
            Depois vem a questão dos estereótipos e desses complexos que você diz.
            Bola pra frente, vamos nessa!
            Obrigada pelo comentário!
            Um abraço

      2. Exato todos os latinos tem imenso orgulho em ser latinos e de suas casas origens, não entendi o que escreveu , visto que nem raça latina existe

  3. Muito boa sua explicação, os brasileiros também quase em sua maioria não se enxergam como latinos, talvez por não falarem espanhol.

      1. 90% dos brasileiros não se considera latino e apenas 4% dos brasileiros se considera latino. Preferimos o termo de sul-americano.
        Tem várias explicações pra isso, peguei as explicações da matéria da pesquisa no G1:

        “A primeira explicação é a colonização. América Latina sempre se associou à colonização espanhola, e isso já gera uma divisão com o passado português do Brasil”, afirma o argentino Fernando Mourón, pesquisador do Centro de Estudo das Negociações Internacionais da USP e participante do estudo regional.

        “Depois temos os processos de independência na região. Na América espanhola houve guerras contra a Coroa e o reforço de uma identidade cultural única, enquanto no Brasil o próprio regente português declarou a independência.”

        A economia por muito tempo fechada aos vizinhos, a geografia continental que dificulta conexões físicas e o histórico diplomático também ajudam a explicar o “isolamento” brasileiro, avalia Mourón.

        Mourón e os colegas da USP Janina Onuki e Francisco Urdinez lembram que até o final da Guerra Fria diplomatas brasileiros acreditavam que a melhor estratégia para aprimorar a inserção internacional do país era manter distância de questões regionais.

        “Uma das consequências foi que, até a metade dos anos 1980, as elites brasileiras e a população em geral viram a América Latina não como construção maior de identidade coletiva, mas apenas como a paisagem geográfica imediata em torno do país”, escrevem os autores.

        Além disso, acredito que não nos consideramos também pelo esteriótipo latino criado pelos americanos que é totalmente hispanicos, e principalmente a língua. Somos? Até somos, mas não nos consideramos, assim como os espanhóis, temos os nossos motivos, não vejo nada de errado em não se considerar, mas eu acredito sim que os espanhóis não se considerem por uma questão mais xenofobica de superioridade aos povos da América latina e por isso o afastamento

        1. Bom dia, Matos,

          Obrigada pelos dados dos professores de História e também pela sua opinião.

          Este assunto é bem complexo e interessante também, pois não podemos generalizar, e ao mesmo tempo existem tendências que indicam este ou aquele caminho.
          Seguimos aprendendo e trocando ideias.

          A Espanha ficou muitos anos sob uma ditadura cruel, onde se comemorava o “Día de la Hispanidad” no dia 12 de outubro, e que desde 1987 mudou de nome, por ser pejorativo e ter uma carga de “conquista”, porém muitas pessoas ainda dizem esse nome, sem saber que o atual é “Fiesta Nacional de España”, segundo a Lei 18/1987.

          O objetivo mudou de comemorar a hispanidade levada à América para algo com outra nuance, em que se comemora “a pluralidade cultural e política e projeção linguística além dos limites europeus”. Isto é o que diz a lei.

          Continuemos expondo nosso conhecimento para uma troca tão rica de informações e aprendizado.

          Um abraço!

    1. Oi Nilton,
      Segundo a Wikipédia “Tres siglos de colonización española dieron lugar a una cultura hispano-asiática, patente en el arte, música, gastronomía y costumbres de Filipinas, en especial su religión católica. También surgió una variante filipina del idioma español, que floreció en la segunda mitad del siglo XIX y primera del XX”.

      Pesquisando sobre as língua faladas no arquipélago, encontrei que os idiomas OFICIAIS das Filipinas são o filipino ou tagalo e o inglês. Depois há 8 idiomas REGIONAIS e depois desses 10 é que temos o espanhol e o árabe como idiomas OPCIONAIS. Não se usa o espanhol como idioma de comunicação oficial no país. Portanto, os filipinos são latinos por terem sido colônia espanhola.

      A título de curiosidade sugiro um filme, caso não tenha visto, Los últimos de Filipinas. É excelente e conta uma parte da história da Espanah com esse país.

      Um abraço!

  4. O que impera aí, claramente,nada mais é do que um racismo muito evidente , pois ,se formos analisar ,a Europa após a formação das línguas ,foi o primeiro o continente onde o latim se dissipou ,portanto eles são mais latinos do que os “latinos americanos”,como eles acreditam.

      1. Latinos são pessoas que falam uma língua que vem do latim! foi daí que veio a palavra! espanhóis e portugueses tem imenso orgulho de serem latinos, não entendo essa xenófobia

        1. Olá anônimo,
          Em nenhum momento meu texto é xenófobo, qu significa ódio ou desprezo por estrangeiros. Todas nós somos estrangeiras, não temos nenhuma intenção de ser xenófobas.
          Por favor, poderia me dizer em que parte do texto lhe dá essa impressão?

  5. Em Portugal identicamos nos como latinos. Não como espanicos.
    Se existe descriminação é nos EUA, em relação a estes grupos, tanto quanto em relação aos afro americanos.
    Facilmente os portugueses são considerados espanicos nos EUA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *