Dicas imperdíveis para curtir este verão em Madrid

Depois de um longo e chuvoso primeiro semestre, Madrid recebeu o verão com dias quentes e secos, como de costume. Por incrível que pareça, todo mundo ignora as altas temperaturas e faz tudo o que pode ao ar livre. O lado bom é que os dias de calor são mais longos e tranquilos por aqui, principalmente em agosto, quando muitos madrilenhos tiram férias e deixam a cidade.

Há eventos criados especialmente para a temporada mais quente de Madrid – todos a céu aberto, claro. Separei alguns programas imperdíveis para você curtir enquanto enfrenta o nosso sofrido verão de cabeça erguida (sem esquecer de beber água, muita água). Aliás, contamos como sobreviver ao calorão de Madrid neste post.

Matadero

O centro cultural mais badalado de Madrid é imperdível o ano inteiro, mas tem uma programação de verão especialmente incrível. A novidade neste ano é o Cineplaza de verano, com filmes ao ar livre – todos em versão original e legendados. Além disso, La plaza en verano, que já virou tradição por aqui, volta ao Matadero, só que desta vez numa temporada mais curta. Serão quatro dias de shows, danças e festas na praça do centro cultural.

Quando: 27 e 28 de julho e 7 e 8 de setembro (La plaza en verano) / de 2 a 12 de agosto e de 23 de agosto a 2 de setembro (Cineplaza de verano).
Onde: Plaza de Legazpi, 8.

Matadero

La Casa Encendida

Este é outro centro cultural interessante o ano todo e com um calendário de verão maravilhoso. La Terraza magnética, evento que só acontece nos meses mais quentes, oferece shows e filmes ao ar livre, com preços entre 3 e 5 euros. Fica em Lavapiés, bairro mais multicultural de Madrid.

Quando: de 23 de junho a 26 de agosto.
Onde: Ronda Valencia, 2.

Conde Duque

Mais um centro cultural bacana de Madrid. Neste ano, o espaço volta a apresentar seu Cine de verano, com entradas entre 3 e 8 euros. Alguns filmes são dublados e outros, legendados. A boa é chegar mais cedo para tomar ou beliscar algo antes da sessão.

Quando: de 20 de julho a 9 de setembro.
Onde: Calle Conde Duque, 11.

Veranos de la Villa

A proposta do festival, um clássico do verão madrilenho, é levar arte a todas as zonas da capital. Neste ano, serão 75 eventos culturais espalhados em 36 cenários – cobrindo absolutamente todos os distritos de Madrid. Escrevemos sobre o festival neste post.

Quando: de 29 de junho a 2 de setembro.
Onde: em todos os distritos de Madrid.

Casa Corona

O evento tem bem a cara de Madrid: um jardim com verde em volta, música ao vivo, comidinhas e muita cerveja. Começou em maio e já está chegando ao fim, então corra para curtir um dos programas mais gostosos do verão.

Quando: de 23 de maio a 19 de agosto.
Onde: Calle Fortuny, 53.

Festas de rua

Há três celebrações seguidas ocupando a primeira metade de agosto: San Cayetano (de 1º a 7 agosto), na zona do Rastro, San Lorenzo (de 8 a 11 de agosto), em Lavapiés, e La Paloma (de 11 a 15 agosto), em La Latina – a maior e mais esperada de todas. As ruas ficam cheias de barraquinhas com comes e bebes, inclusive caipirinhas, e música.

Rooftops

As terrazas são as protagonistas do verão, mas sugiro buscar espaços climatizados para não morrer de calor. Eu prefiro, nesta época do ano, os rooftops, que costumam ser mais fresquinhos e sempre com uma vista espetacular de Madrid. Todo verão tem alguma novidade chamando a atenção: neste ano é a vez do Ginkgo Restaurante & Sky Bar, no 12º andar do hotel VP Plaza España Design, que fica no fim da Gran Vía.

Aliás, na Gran Vía e em seu entorno você encontra um monte de terrazas gostosas de hotéis, a maioria aberta para o público em geral. Destaco ainda The Mint Roof, do divertido hotel Vincci The Mint, e a Terraza de Óscar, do Room Mate Óscar, na cobertura (climatizada) do agradável hotel em Chueca.

El Viajero

La Latina, bairro central e boêmio, tem duas terrazas imperdíveis: a do restaurante El Viajero e a do hostel The Hat, ambas no topo dos edifícios. Na altura de Cibeles, há dois clássicos: a Terraza de Cibeles, no sexto andar do Palácio de Cibeles, e a Azotea del Círculo de Bellas Artes.

No Parque Madrid Río, você vai encontrar a terraza do Café del Río. Uma delícia também! Enfim, não faltam opções. Todas têm vistas lindas e são disputadíssimas durante o pôr do sol. Minha dica no verão é investir nas bebidas refrescantes, como tinto de verano e mojito.

Parques

O ideal nesta época do ano é buscar uma graminha com sombra para chamar de sua, embora uma galera vá aos parques para pegar sol. Madrid tem muitos parques e eu amo todos os que conheci até agora. Alguns são bem centrais, como El Retiro, o mais famoso de todos, e outros mais afastados da zona turística, como Quinta de los Molinos e El Capricho, esse último abre apenas aos sábados, domingos e feriados.

Dois dos parques que mais curto em Madrid são pouco explorados pelos turistas, mas valem muito a visita: Cerro del Tío Pío e Enrique Tierno Galván. Em Puente de Vallecas fica o Cerro del Tío Pío, mais conhecido como Parque de las siete tetas, de onde é possível ver boa parte da cidade e de seus edifícios emblemáticos. Já o Tierno Galván, em Legazpi, é tão grande que abriga até o Planetário de Madrid.

Cerro del Tío Pío

Outro parque que adoro é o Madrid Río, construído às margens do Rio Manzanares e numa área que era antes ocupada pela rodovia M-30. Tem vários quilômetros de extensão e, se você fizer uma boa caminhada, vai acompanhar as mudanças na paisagem de um bairro para o outro.

Aproveite para conferir também nosso post com cinco parques de visita obrigatória em Madrid.

Piscinas

Madrid tem piscinas públicas que funcionam apenas nos meses de calor. O preço para adulto é 4,50 euros. Costumam ser bem agradáveis, embora fiquem cheias demais no fim de semana. Sugiro ir de segunda a sexta. Além disso, há hotéis com piscinas abertas ao público, mas o preço não é lá muito simpático (em torno de 40 euros). Um deles é o Room Mate Óscar, cuja terraza eu citei lá em cima, e outro é o Emperador, ambos no centro de Madrid.

Espero que as dicas te ajudem a curtir o que o verão de Madrid tem de melhor! =)

Sou Joana, carioca e jornalista. Me formei em direito e jornalismo e estudei história contemporânea entre uma graduação e outra. Trabalhei como repórter, principalmente em futebol. E, em 2012, abri a Toca Comunicação, empresa de comunicação digital com foco em cultura. Agora vivo em Madrid e comando o Entre tapas y cañas, que traz a minha visão dos madrilenhos e de Madrid, cidade surpreendente e apaixonante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *